Publicidade

Posts com a Tag Expovinis

quarta-feira, 22 de abril de 2015 Blog do vinho, Brancos, Degustação, Espumantes, Nacionais, Novo Mundo, Porto, Rosé, Tintos, Velho Mundo | 14:00

Conheça os melhores vinhos do concurso Top Ten 2015 da ExpoVinis

Compartilhe: Twitter

tablet

Como acontece todos anos  os homens que cospem vinho se juntaram mais uma vez para realizar o concurso Top Ten, versão 2015 (que bem poderia chamar Os 10 Mais), da 19º edição da Expovinis, a maior feira de vinhos da América Latina. O concurso reuniu profissionais, especialistas, jornalistas e um palpiteiro (este que vos escreve que participa pelo oitavo ano consecutivo) para provar vinhos às cegas de vários países e estilos e eleger os 10 melhores. Quem acompanha este blog sabe da lisura deste concurso e de como ele funciona. Para quem chega aqui pela primeira um rápida explicação (ou clique nos links distribuídos pelo texto). A tabela está logo abaixo, seguida das fichas dos vinhos

Top Ten como funciona

Os vinhos que concorrem na degustação do Top Ten da ExpoVinis são aqueles enviados pelos expositores/produtores. Não são exatamente os melhores vinhos da feira, nem é esta a pretensão. Concorre quem quer. Eles são divididos em uma dezena de tópicos. Em 2015 foram 125 amostras distribuídas entre as seguintes categorias: espumantes nacionais (16), espumantes importados (8), brancos importados (15), brancos nacionais (12), rosados (10), tintos nacionais (18), tintos novo mundo (13), tintos velho mundo I – Portugal e Espanha (11), tintos velho mundo II – França e Itália(15), fortificados e doces (7). As garrafas são cobertas, numeradas e avaliadas. As notas são registradas no sistema (é distribuído um iPad para cada jurado com usuário e senha), somadas e os melhores em cada categoria levam a medalha no peito e saem anunciando por aí. Justo ou não, trata-se de um julgamento coletivo, que é mais preciso que a nota de um só critico. Os jurados só conhecem os rótulos provados no momento da divulgação do resultado. Confesso que é até meio frustrante, a gente passa dois dias provando vinhos e sai de lá sem saber os rótulos que bebeu e quais foram os eleitos. Mas é a forma correta de fazer isso.

TOP TEN 2015 – Resultado  Final

1. ESPUMANTES NACIONAIS – Vencedor: Aracuri Brut Chardonnay 2014

2. ESPUMANTES IMPORTADOS  – Vencedor: Georges De La Chapelle Cuvee Nostalgie N/V

3.  BRANCOS NACIONAIS – Vencedor: Pericó Vigneto Sauvignon Blanc 2014

4. BRANCOS IMPORTADOS  – Vencedor: Casas Del Toqui Terroir Selection Sauvignon Blanc 2014

5. ROSADOS – Vencedor:  Saint Sidoine Côtes Du Provence Rosé 2014

6. TINTOS NACIONAIS  – Vencedor:  Valmarino Ano Xviii Cabernet Franc 2012

7. TINTOS NOVO MUNDO – Vencedor:  Renacer Malbec 2011

8. TINTOS VELHO MUNDO I (Espanha e Portugal) – Vencedor:  Pêra Grave Reserva Tinto 2011

9. TINTOS VELHO MUNDO II (Itália e França) – Vencedor:  Sangervasio A Sirio 2007

10. FORTIFICADOS E DOCES  – Vencedor:  José Maria da Fonseca Alambre Moscatel de Setúbal 20 Anos

PRÊMIO JOSÉ IVAN DOS SANTOS (vinho com a maior média, 93.5) – Vencedor:  José Maria da Fonseca Alambre Moscatel de Setúbal 20 Anos

ESPUMANTES NACIONAIS

Aracuri Brut Chardonnay 2014

País: Brasil

Região: Campos de Cima da Serra – Rio Grande do Sul

Uva: chardonnay

Produtor: Aracuri Vinhos Finos

Site: www.aracuri.com.br

Elaborado pelo método charmat (segunda fermentação em tanques de inox), usa apenas uva chardonnay. Na minha avaliação era aquele que apresentava maior toque de evolução entre os representantes das borbulhas nacionais.  Não é assim que o site da empresa define o vinho: “espumante elegante e refrescante de perlage fina e abundante. No aroma destacam-se as notas de damasco, raspas de limão e pão fresco. O paladar é envolvente e cremoso com acidez cativante.”. Mas é um bom sinal a  eleição de um blanc de blanc (espumante feito apenas com chardonnay) verde-amarelo.

espumantes

ESPUMANTES IMPORTADOS

Georges De La Chapelle Cuvee Nostalgie

País: França

Região: Champagne

Uvas: chardonnay (70%), pinot noir (15%), pinot meunier (15%)

Empresa: Sas Prat Champagne Georges De La Chapelle

Site: www.georgesdelachapelle.com

Existe uma clara tendência dos jurados eleger um espumante importado que mais chegue perto das características de um champagne tradicional, e não deu outra. Para começar pelo tradicional corte, com as uvas tradicionais da região. Bateu nas anotações dos jurados: cor dourada, aromas de frutas secas, um toque oxidativo e boa perlage. Este exemplar vem de vinhedos com mais de 40 anos e de uma mistura (cuvee) das safras de 2004, 2006 e 2008. Um belo champagne, sem dúvida. Afinal, não há espumante como um champagne…

BRANCOS NACIONAIS

Pericó Vigneto Sauvignon Blanc 2012

País: Brasil

Região: Altitude Catarinense – Santa Catarina

Uva: sauvignon blanc

Produtor: Vinícola Pericó Ltda

Site: www.vinicolaperico.com.br

E um vinho de altitude, de Santa Catarina, elevou o sauvignon blanc nacional para o topo da categoria dos brancos nacionais. Elegante, sem exagero de aromas, lembra frutas tropicais no nariz e na boca, no site oficial são descritos “melão, mamão papaia, casca de grapefruit e uma nota discreta de maracujá e de folha de tomate”  Eu não percebi tudo isso, mas um frescor marcante, com bela acidez e boa estrutura.

 BRANCO

BRANCOS IMPORTADOS

Casas Del Toqui Terroir Selection Sauvignon Blanc 2014

País: Chile

Região: Vale Leyda

Uva: sauvignon blanc

Produtor: Casas del Toqui

Site: www.casasdeltoqui.cl/cdt.html

Importador: Bodegas De Los Andes Comercio De Vinhos Ltda

Site: WWW.BODEGAS.COM.BR

O sommelier Hector Riquelme, sem saber quem era o vencedor, declarou que um “perfumista” havia vencido a categoria dos brancos importados. De fato, este sauvignon blanc é muito típico, e se destacam aromas de aspargos, arruda, herbáceo, na boca uma certa salinidade, boa estrutura e um final mais longo, acentuado pela mineralidade e ótima acidez. O  perfumista me conquistou.

ROSADOS

Saint Sidoine Côtes Du Provence Rosé 2014

País: França

Região: Provence

Uvas: grenache, cinsault, syrah, carignan, mourvedre, tibouren

Produtor: Cellier Saint Sidoine

Site: www.coste-brulade.fr

A cor em um rosé é elemento importante, ela seduz – ou não – de cara. Aqui um rosa pálido com reflexos de salmão davam pinta da região de Provence, confirmada no nariz mais cítrico, no frescor em boca provocado pela bela acidez que prolongava o prazer em boca. Ao contrário ao ano anterior, onde o painel dos rosados era bem fraco, este ano vários vinhos competiram em pé de igualdade pelo primeiro lugar. Prova de qualidade dos rosés, nem sempre reconhecida.

tintos

TINTOS NACIONAIS

Valmarino Ano XVIII Cabernet Franc 2014

País: Brasil

Região: Pinto Bandeira, Rio Grande do Sul

Uva: cabernet franc

Produtor: Vinícola Valmarino

Site: www.valmarino.com.br

Oba! Um cabernet franc 100% levou o melhor nacional tinto, recuperando o prestígio desta uva que já foi mais importante no Brasil (outro cabernet franc estava na disputa final). Tem a presença forte de madeira no nariz, e em seguida aparecem frutas negras, couro e chocolate. Na boca um tanino macio, uma boa fruta presente, com a madeira integrada, um final de qualidade. Este foi um vinho que foi melhorando na taça e que foi surpreendendo ao longo da prova e crescendo na pontuação (na minha, pelo menos).

TINTO NOVO MUNDO I – ARGENTINA E CHILE

Renacer Malbec 2011

País: Argentina

Região: Lujan de Cuyo, Mendoza

Uva: malbec

Produtor: Bodega Y Viñedos Renacer

Site: www.bodegarenacer.com.ar

A Argentina papou o prêmio do Novo Mundo com sua uva símbolo, a malbec. Os 24 meses em barricas francesas de primeiro uso e os seis meses de garrafa trouxeram aromas mais evoluídos de bala toffee e frutas negras. Não tem aquele floral exuberante, de violeta, que em excesso incomoda. De vinhedos de mais de 90 anos de idade, este malbec conquistou pela fruta em boca, tanino doce e suave e final mais longo. Infelizmente a categoria se  limitou a garrafas do Chile e da Argentina, o que limita um pouco o painel. Seriam bem-vindos tintos da Austrália, África do Sul, Estados Unidos…

tintosdecima

TINTO VELHO MUNDO II – ITÁLIA E FRANÇA

Sangervasio A Sirio 2007 IGT

País: Itália

Região: Toscana

Uvas: 95% sangiovese, 5% cabernet sauvignon

Produtor: Sangervasio

Site: www.sangervasio.com

Importador: Zahil

Site: www.zahil.com.br

O melhor tinto velho mundo é um velho conhecido dos apreciadores de tintos italianos. Há anos importado pela Zahil, já tem seu público cativo e me causou certa surpresa sua presença no Top Ten. A Sangervasio se define como um vinhedo biológico da Toscana. Este A Sirio IGT tem pinta de supertoscano e passa 14 meses em barricas (50% novas) e 2 anos em garrafas antes de encher sua taça. Isso provoca uma textura macia na predominante sangiovese, com um bom impacto de frutas, especiarias e corpo médio. Não se notam seus 8 anos de vida. Vai longe. Avanti Itália!

 

TINTO VELHO MUNDO – PORTUGAL E ESPANHA

Pêra Grave Reserva Tinto 2011

País: Portugal

Região: Alentejo, Évora

Uvas: syrah, touriga nacional e alicante bouchet

Produtora: Pêra Grave, Quinta de São José de Peramanca

Site: www.peragrave.pt

Representante: Luxury Drinks Portugal

Site: www.luxury-drinks.pt

Aprendo no site oficial da vinícola que ele é produzido na antiga quinta de Pêra Manca do séc. XIII até ao séc. XIX. Trata-se de um caldo potente, típico desta região mais quente de Portugal. Muita fruta negra no nariz e um toque floral da touriga nacional. Na boca a potência se confirma com as frutas mais maduras e com a passagem pelas barricas. Boa persistência final. Vinhão para quem curte caldos mais concentrados.

doces

DOCES E FORTIFICADOS

José Maria da Fonseca Alambre Moscatel de Setúbal 20 Anos

País: Portugal

Região: Península de Setúbal

Uva: 100% moscatel de Setúbal

Produtor: José Maria da Fonseca

Site: www.jmf.pt

Importador: Decanter Vinhos Finos

Site: www.decanter.com.br

Uauau!  Não é muito profissional começar uma descrição assim, mas eu repito: uauau!!! A cor âmbar com alguns reflexos esverdeados já dá a dica de coisa boa, os aromas em camadas longas e persistentes de nozes, caramelo, avelã, frutas cristalizadas aumentam a tensão, na boca a confirmação destes aromas acompanhada de uma belíssima acidez que quebra seu doce e mantém o prazer da bebida por minutos. José Maria da Fonseca (aquele do Periquita) é o mais antigo produto de Moscatel de Setúbal, um Denominação de Origem Controlada (D.O.C.), reconhecida desde 1907.Este Moscatel de Setúbal 20 anos é resultado de um lote de 19 colheitas em que a colheita mais nova tem pelo menos 20 anos e a mais antiga perto de 80 anos, O resultado é complexidade, elegância, longo final e um paladar de tirar o rolha.

O nomes dos culpados pela eleição dos onze vinhos acima

 O time dos homens que cospem vinho do Top Ten tem uma certa consistência. Os doze homens são divididos em dois grupos, cada qual com um presidente a quem compete resolver qualquer impasse. Fica a crítica da ausência de juradas mulheres, que hoje são parte importante da crítica de vinhos no Brasil e no mundo.

 Presidentes de mesa

Hector Riquelme – sommelier chileno

Mario Telles Jr –  ABS-SP

Jurados (em ordem alfabética)

Beto Gerosa – Blog do Vinho

Celito  Guerra – Embrapa

Jorge Carrara – Prazeres da Mesa

José Luis Borges – ABS São Paulo

José Maria Santana – jornalista e crítico de vinhos revista Gosto

José Luiz Paligliari – Senac

Manoel Beato – sommelier grupo Fasano

Marcio Pinto – consultor e ABS-MG

Ricardo Farias – Sbav Rio de Janeiro

Tiago Locatelli – sommellier Varanda

José Ivan dos Santos, o gentleman do vinho

José Ivan dos Santos: homenagem

José Ivan dos Santos: homenagem

Este ano o concurso Top Ten teve um trago amargo. A ausência de José Ivan dos Santos na coordenação do evento, sempre em dueto com o crítico e consultor Jorge Lucki. José Ivan, ou Zé Ivan, era um gentleman do vinho, um conhecedor que não botava banca, um aglutinador de pessoas e de uma simpatia contagiante.  Zé faleceu, repentinamente, há pouco mais de dois meses, com um livro pronto para ser lançado. Em homenagem ao Zé, este ano foi instituído um 11º prêmio no Top Ten, o Prêmio José Ivan dos Santos para o vinho com a melhor pontuação em todas as categorias. O prêmio especial será entregue ao inebriante José Maria da Fonseca Alambre Moscatel de Setúbal 20 Anos. Uma justa homenagem que o concurso presta ao amigo Zé – que tenho certeza ficaria feliz de se ver representado com este elegante caldo.

 

SERVIÇO

  • ExpoVinis Brasil 2015 | 19º Salão Internacional do Vinho
  • 22 a 24 de abril de 2015
  • Expo Center Norte – Pavilhão Azul – Vila Guilherme – São Paulo
  • Informações, credenciamento visitantes e novidades: www.expovinis.com.br
  • Facebook: ExpoVinis Brasil | Twitter: @expovinis | Instagram: @expovinisbrasil
  • E-mail: visitante.fev@informa.com | Telefone: (11) 3598-780

O primeiro dia do evento será reservado exclusivamente para profissionais do setor.

  • Horário: das 13 às 21 horas para profissionais do setor nos dias 22 e 23 de abril, e das 13 às 20 horas no dia 24 de abril. Aberto ao consumidor final das 17 às 21 horas no dia 23 e das 17 às 20 horas no dia 24 de abril.
  • Shuttle Service/Transfer gratuito no trajeto Expo Center Norte-Estação Portuguesa/Tietê e estação Portuguesa/Tietê-Expo Center Norte estará disponível todos os dias do evento.
Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 Blog do vinho, Brancos, Degustação, Tintos | 15:39

Listas dos melhores vinhos de 2014

Compartilhe: Twitter
São Paulo Tasting 2013: 11 garrafas e nenhum segredo

Listas, rankings, concursos: as escolhas dos melhores vinhos de 2014

Quais os melhores vinhos de 2014? Difícil responder. Melhor vinho de onde, para quê, para quem e a qual preço? Mesmo assim ao longo do ano vários concursos e rankings são realizados e, principalmente no final do ano, as principais publicações e guia de vinhos lançam as suas listas de top 100, elegendo os melhores do ano.

Todo mundo adora listas de melhores do ano. Todo mundo critica. Mas todos – os que gostam e os que odeiam – consultam estas listas. Para se guiar, falar mal delas ou mesmo para comparar com o seu próprio critério de escolha.

Um personagem emblemático desta mania é o de Rob Gordon, do romance Alta Fidelidade, do inglês Nick Horben. Proprietário de uma falida loja de vinil e com problemas de relacionamentos crônicos, ele vive criando listas dos 5 melhores ou piores coisas de sua vida, em especial de músicas para cada ocasião. É assim que ele dá sentido à sua vida. O romance virou um filme de mesmo nome interpretado por John Cusack.

Para alegria de muitos e desagravo de outros tantos, este blog reuniu numa mesma página algumas das listas de melhores vinhos publicadas em 2014 pelas mais famosas e badaladas revistas especializadas e o resultado de  concursos internacionais. Em seu momento Rob Gordon, este cronista dos fermentados, também enumera 10 vinhos inesquecíveis provados em 2014, sem qualquer rigor científico: aplausos e apupos e na caixa de comentários, please.

  • BLOG DO VINHO – 10 vinhos inesquecíveis do Chile e Argentina de 2014

Este ano, por conta de algumas viagens, degustações e mesmo vinhos provados em restaurantes o volume de vinhos do Chile e Argentina provados por este colunista superou – e muito – de outros países. Por isso a lista do Blog do Vinho precisava ser coerente com a experiência pessoal do autor e lista 5 vinhos de capa país. A lista aqui não está em ordem preferência. São apenas vinhos que me encantaram por variados motivos, todos aqueles que estão em torno da bebida: prazer, gosto, companhia, ambiente. Afinal, vinho não é planilha.

 toknar

CHILE

Toknar– Petit Verdot  2010 – Viña Von Siebenthal – Aconcagua

Don Melchor 2010 –  Concha y Toro – Maipo

Manso de Velasco 2011 – Viña Torres – Valle do Curicó

Limávida Old Wines Field Blends 2011 – De Martino – Maule

Tralca Bisquertt Family Vineyards 2010 – Bisquertt – Colchagua

 

republica

ARGENTINA

Casas de Weinert – Gran Vino– Bodegas y Cavas de Weinert

– Mendoza

La Espera Reserva Syrah 2007 – Funckenhausen Vineyards –  San Rafael, Mendoza

Chacra Cinquenta y Cinco 2012 – Bodegas Chacra – Patagônia

Republica del Malbec Blend de Terroir 2012 – Riccitelli Wines – Mendoza

Pequenas Producciones Cabernet Franc  2010-  Escorihuela Gascón, Mendoza

 REVISTAS ESPECIALIZADAS

valemeao

  • WINE SPECTATOR – 10 primeiros vinhos do TOP 100

Destaque para os rótulos região do Douro, de Portugal, classificados  em 1º, 3º e 4º lugares.

1     Dow Vintage Port

2     Mollydooker Shiraz McLaren Vale Carnival of Love

3     Prats & Symington Douro Chryseia

4     Quinta do Vale Meão Douro

5     Leeuwin Chardonnay Margaret River Art Series

6     Castello di Ama Chianti Classico San Lorenzo Gran Selezione

7     Clos des Papes Châteauneuf-du-Pape

8     Brewer-Clifton Pinot Noir Sta. Rita Hills

9     Concha y Toro Cabernet Sauvignon Puente Alto Don Melchor

10 Château Léoville Las Cases St.-Julien

Lista completa: http://2014.top100.winespectator.com/lists/

Deiss

  • WINE ENTHUSIAST – 10 primeiros vinhos da Top 100

A revista americana, claro, privilegia alguns rótulos da terra, pouco conhecidos por aqui.

1     Ken Wright 2012 Abbott Claim Vineyard Pinot Noir (Yamhill-Carlton District)

2     Pieropan 2011 La Rocca Garganega (Soave Classico)

3     José Maria da Fonseca 2011 José de Sousa Red (Alentejano)

4     SonVida 2012 Malbec (Mendoza)

5     Domaine Marcel Deiss 2011 White (Alsace)

6     Guido Porro 2010 V. S. Caterina Nebbiolo (Barolo)

7     Sparkman 2013 Birdie Riesling (Columbia Valley (WA))

8     Gruber Röschitz 2012 Hundspoint Grüner Veltliner (Weinviertel)

9     Luis Duarte 2011 Rubrica Red (Alentejano)

10 Iron Horse 2010 Wedding Cuvée Sparkling (Green Valley)

Lista completa: http://buyingguide.winemag.com/toplists/2014/wines/10-1

Assobio2011

  • WINE ENTHUSIAST – 10 primeiros vinhos Best Buy (melhor compra)

 Nos Estados Unidos os vinhos listados abaixo custam entre 7 a 14 dólares. Novamente Portugal se dá bem em 2014.

1     Aveleda 2013 Quinta da Aveleda Estate Bottled Loureiro-Alvarinho White (Minho)

2     Barnard Griffin 2012 Fumé Blanc Sauvignon Blanc (Columbia Valley (WA))

3     Bogle 2012 Essential Red (California)

4     Herdade do Esporão 2011 Quinta dos Murças Assobio Red (Douro)

5     Mano A Mano 2011 Tempranillo (Vino de la Tierra de Castilla)

6     Chateau Ste. Michelle 2013 Dry Riesling (Columbia Valley (WA))

7     Château Vincens 2011 Prestige Malbec-Merlot (Cahors)

8     DFJ Vinhos 2011 Portada Winemaker’s Selection Tinto Red (Lisboa)

9     Hugl-Wimmer 2013 Wimmer Grüner Veltliner (Niederösterreich)

10 Blue Fish 2012 Sweet Riesling (Pfalz)

Lista completa: http://www.winemag.com/November-2014/Top-100-Best-Buys-2014/

molino2

  • DECANTER top 50 Wines of The Year

Esta é uma seleção anual que a mais respeitada revista de vinhos do planeta, a inglesa Decanter, publica toda edição de dezembro. Dos 4.800 vinhos provados durante o ano os especialistas selecionam os 50 melhores. Não há um primeiro lugar, mas vinhos bem pontuados e de boa relação qualidade e preço.  Bem, tem até um espumante da Grã-Bretanha…  e nenhum dos EUA. A classificação é por país, portanto vai a lista completa.

Argentina

Atamisque, Serbal Assemblage, Gualtary & Tupungato, Mendoza 2012

Chacra, barda Pinot Noir, Patagonia 2011

Zorzal, Pintao Pintao, Gualtary & Tupungato, Mendoza 2011

 

Austrália

Heemskerk, Chardonnay, Tasmania 2012

Tolpuddle, Chardonnay, Coal River Valley, Tasmania 2012

Adelina, Grenache, Clare Valley, South Australia 2012

Ben Glaetzer, Bishop Shiraz, Barossa Valley 2012

John Duval, Entity Shiraz, Barossa Valley, South Australia 2012

Leeuwin Estate, Art Series, Cabernet Sauvignon, Margaret River 2010

Shaw & Smith, Shiraz, Adelaide Hills, South Australia 2012

 

Áustria

Schiefer, Eisenberg Blaufränkish, Burgenland 2009

 

Chile

Casa Marin, Syrah, Miramar Vineyard, Lo Abarca, San Antonio 2010

Casas del Bosque Gran Reserva Syrah, Casablanca 2011

 

França – Bordeaux

Château Gruaud-Larose, St-Julien 2CC 2010

Château Haut-Batailley, Pauillac 5CC 2010

Château Prieuré-Lichine, Margaux 4CC 2010

Château de Rayne-Vigneu, Sauternes 2009

 

França – Loire

Domaine Jean Teiller, Menetou-Salon 2012

 

França – Provence

Le Grand Cros, L’Esprit de Provence, Côtes de Provence 2013

 

França – Rhône

Bosquet des Papes, Chante le Merle Vielles Vignes, Châteauneuf-du-Pape 2012

Domaine Les Grands Bois, Cuvée Maximilien, Cairanne 2012

 

Alemanha

Kloster Eberbach, Hessesche Staatsweingüter, Rüdesheimer Berg Schlossberg, Grosses Gewächs, Rheingau 2012

 

Itália – Regional

Paltrinieri, Solco, Lambrusco dell’Emilia-Romagna 2012

Villa Medoro, Rosso del Duca, Montepulciano d’Abruzzo 2010

 

Itália – Sul

Pietracupa, Greco di Tufo 2012

 

Itália – Toscana

Il Molino di Grace, Il Margone, Chianti Classico Gran Selezione 2010

Melini, Vigneti La Selvanella, Chianti Classico Riserva 2010

Pian dell’Orino, Brunello di Montalcino 2008

 

Itália – Vêneto

Cà dei Frati, Brolettino, Lugana 2011

Cà Lojera, Lugana 2012

Selva Capuzza, Selva, Lugana 2012

Viviani, Amarone dela Valpolicella Classico 2008

 

Nova Zelândia

Greywacke, Pinot Noir, Marlborough 2012

Kusuda, Riseling, MartinBorough 2013

Ata Rangi, Pinot Noir, MartinBorough 2011

Felton Road, Calvert, Pinot Noir, Bannockburn, Central Otago 2012

Fromm, Clayvin Vineyard. Pinot Noir, Marlborough 2011

NOSSA_CALCARIO

Portugal

Felipa Pato, Nossa Calcário Branco, Bairrada 2011

 

África do Sul

Boekenhoutskloof, Semillon, Franschhoek 2010

Chamonix, Chardonnay Reserve, Franschhoek 2012

 

Espanha

Gramona, Brut Nature Gran Reserva, Cava 2008

Contino Blanco Rioja 2010

Bastión de la Luna, Tintos de Mar, Rias Baixas 2011

Bodegas Artazu, Santa Cruz de Artazu, Navarra 2009

Domaines Lupier, LA Dama Garnacha, Navara 2009

Dominio do Bibei, Lalama, Ribeira Sacra 2010

La Calandria, Pura Garnacha, Cientruenos, Navarra 2011

La Rioja Alta, 890, Rioja Gran Reserva 1998

Bodegas Hidalgo Napoleon, Manzanilla Amontillada

 

Grã-Bretanha

Sugrue Pierre, South Downs, England 2010

  • CHAMPA  DECANTER – World Wine Awards (DWWA) 2014

15.000 vinhos passam pela degustação às cegas de 225 jurados internacionais que distribuíram, após quatro meses, 454 medalhas de ouro,  158 troféus regionais e 33 troféus internacional. São provas exclusivas para este concurso, diferente da escolha dos 50 vinhos analisados pela Decanter ao longo do ano. Abaixo a lista dos 33 troféus internacionais

 

International Trophy

 Seco aromático abaixo de 15 libras

Lawson’s Dry Hills, Gewürztraminer, Marlborough, New Zealnd 2012

 

 Espumante abaixo de 15 libras

Cruzat, Cuvée Réserve Rosé Extra Brut, Argentina (sem safra)

 Espumante acima de 15 libras

Charles Heidsieck, Blanc des Millénaires Brut, Champagne, France

 

 Riesling seco abaixo de 15 libras

Marks  Spencer, Eclipse Riesling, Bío-Bío Valley, Chile 2012

 

 Riesling seco acima de 15 libras

Pewsey Vale, The Contours Museum Reserve Riseling, Eden Valley, South Australia 2008

 

 Sauvignon Blanc abaixo de 15 libras

Paul Cluver, Estate Sauvignon Blanc, Elgin, South Africa 2013

 

 Sauvignon Blanc acima de 15 libras

Jean-Paul Balland, Grand Cuvée, Sancerre, Loire, France 2012

 

 Chardonnay abaixo de 15 libras

Albert Bichot, Secret de Famille Chardonnay, Bourgogne, France, 2012

 

 Chardonnay acima de 15 libras

Jordan, Chardonnay, Stellenbosh, South AFrica 2013

 

 Branco varietal abaixo de 15 libras

McGuigan, The Shortlist Semillon, Hunter Valley, New South Wales, Australia 2007

 

 Branco varietal acima de 15 libras

St-Jodern Kellerei, Heida Barrique, Valais, Switzerland 2012

 

Branco blend abaixo de 15 libras

Domaine de la Voiugeraie, Monopole le Clos Blanc de Vougeot 1er Cru, Burgundy, France 2011

 

 Branco blend acima de 15 libras

Domaine Zinck, Portrait Pinot Gris, Alsace, France 2012

 

 Pinot Noir abaixo de 15 libras

Falernia, Pinot Noir Reserva, Elqui Valley, Chile 2013

 

 Pinot Noir acima de 15 libras

Greystone, The Brother’s Reserve Pinot Noir, Waipara, Canterbury, New Zeland 2012

 

 Tinto varietais bordalesas  abaixo de 15 libras

Hartenberg, Cabernet Sauvignon, Stellenbosch, South Africa 2010

 

 Tinto varietais bordalesas  acima de 15 libras

L’Ecole Nº41, Ferguson, Walla Walla Valley, Washington State, USA 2011

 

Tinto varietais do Rhône abaixo de 15 libras

Spier, Creative Block 3, Coastal Region, South Africa 2011

 

 Tinto varietais do Rhône acima de 15 libras

Château Cesseras, Minervois La Livinière, Languedoc-Roussillon, France 2011

 

 Tinto varietais espanhóis abaixo de 15 libras

Olarra, Erudito, Rioja Reserva, Spain 2009

 

Tinto varietais espanhóis acima de 15 libras

Mustiguillo, Pago el Rerrerazo, Spain 2011

 

 Tinto varietais italianas abaixo de 15 libras

Costarossa, Surani, Primitivo di Manduria, Puglia, Italy 2012

 

Tinto varietais italianas acima de 15 libras

Pianpolvere Soprano, Bussia 7 Anni, Barolo Riserva, Piedmont, Italy 2007

 

 Tinto varietal abaixo de 15 libras

Fabre Montmyou, HJ Fabre Barrel Selection Malbec, Patagonia, Argentina 2013

 

Tinto varietal acima de 15 libras

El Esteco, Don David Reserve Tannat, Salta, Argentina 2012

 

Tinto blend abaixo de 15 libras

Morrison’s, Signature, Valpolicella Ripasso, Veneto, Italy 2012

 

 Tinto blend abaixo de 15 libras

Zenato, Ripassa, Valpolicella Rispasso Superiore, Veneto, Italy 2010

 

 Rosé acima de 15 libras

Domaine de Rimauresq, R, Côtes de Provence, France 2013

 

 Doce Fortificado acima de 15 libras

Blandy’s, Malmsey, Madeira, Portugal 1988

 

 Doce abaixo de 15 libras

KWV, The Mentors Noble Late Harvest, Walker Bay, South Africa 2012

 

 Doce abaixo de 15 libras

Innislillin, Vidal Icewine, Niagra Peninsula, Ontario, Canadá 2012

 

 Fortificado seco abaixo de 15 libras

La Ina, Fino, Sherry, Spain, NV

 

Fortificado seco acima de 15 libras

Lustau, 30 years Old VORS, Amontillado, Sherry, Spain, NV

LIDIO_MERLOT

  • DECANTER – 6 melhores vinhos nacionais

Seleção do renomado crítico inglês Steven Spurrier (publicada na revista Decanter em setembro de 2013, mas acho que vale incluir aqui como referência do gosto internacional dos rótulos nacionais)

1     Cave Geisse 1998 Brut (magnum) – Pinto Bandeira (18,5 / 95 pts)

2     Lídio Carraro Grande Vindima Merlot 2005 – Encruzilhada do Sul (18 / 93 pts)

3     Pizzato DNA99 2008 – Vale dos Vinhedos (18 / 93 pts)

4     Lídio Carraro Dádivas Pinot Noir 2012 – Encruzilhada do Sul (17,5 / 91 pts)

5     Miolo Sesmarias 2008 – Campanha Gaúcha (17,5 / 91 pts)

6     Casa Valduga Raízes Cabernet Franc 2010 – Campanha Gaúcha (16,5 / 88 pts)

18-vietti-barolo-riserva-villero-2007

  • TRE BICCHERI – prêmio especial os melhores vinhos da Itália

O tradicional Guia Tre Biccheri é a referência dos vinhos da Itália. A classificação é feita por região e são muitas. Há entretanto um crème de la crème que elege os melhores de toda a Itália. São eles:

 

Rosso dell’Anno (tinto do ano)

Barolo Villero Ris. ’07 – Vietti

 

Bianco dell’Anno (branco do ano)

Trebbiano d’Abruzzo Vigne di Capestrano ’12  – Valle Reale

 

Bollicine dell’Anno (espumante do ano)

Brut Classico Nature – Monsupello

 

Dolce dell’Anno (doce do ano)

Vin Santo di Carmignano Ris. ’07 – Tenuta di Capezzana

 

Rapporto Qualità/Prezzo (qualidade /preço)

Custoza Sup. Ca’ del Magro ’12 – Monte del Frà

 

Cantina dell’Anno (Cantina do ano)

Tenuta Sette Ponti

Lista completa do Tre Biccheri: http://www.gamberorosso.it/component/k2/item/1020615-vini-d-italia-2015-del-gambero-rosso-ecco-i-risultati

GRANLEGADO

 CONCURSOS E AVALIAÇÕES

  • TOP 10 Expovinis 2014

Este colunista faz parte do júri que escolhe anualmente os melhores vinhos em 10 categorias da maior Feira de Vinhos da América Latina. Este foi o resultado de 2014

 Espumante Nacional

 Grand Legado Brut Champenoise, da vinícola Gran Legado, região de Garibaldi/RS

 

Espumante Importado:

Champagne Lanson Brut, do produtor Lanson, França

 

Branco Nacional

Pericó Vigneto Sauvignon Blanc, da Vinícola Pericó, Santa Catarina

 

Branco Importado

Boschendal Elgin Chardonnay, do produtor Boschendal, da África do Sul

 

Rosado:

Remy Pannier Rose D’Anjou, do produtor Ackerman, Vale do Loire, França

 

Tinto Nacional:

Guatambu Rastros do Pampa Tannat, do produtor Guatambu Estância do Vinho, região da Campanha Gaúcha

 

Tinto Novo Mundo

Casillero del Diablo Devil’s Collection, da Viña Concha y Toro, Vale do Rapel, Chile

 

Tinto Velho Mundo/Itália/França, entre outros

Le Vigne Di Sammarco Solemnis Primitivo Salento IGP, do produtor Le Vigne di Sammarco, região da Puglia, Itália

 

Tinto Velho Mundo/Península Ibérica:

Scala Coeli, da Adega Alentejana, região do Alentejo, Portugal

 

Fortificados e Doces

Andresen Porto White 10 Years, do produtor Andresen, região do Douro, Portugal

 

  • 22º AVALIAÇÃO dos vinhos nacionais safra de 2014

A Associação Brasileira de Enologia promove uma avaliação dos vinhos brasileiros da safra do ano que ainda vai entrar no mercado, uma seleção de 16 vinhos das 290 amostras degustadas de 58 vinícolas

 

Categoria vinho base para espumante

Domno do Brasil – vinho base espumante (Chardonnay
Chandon do Brasil – vinho base espumante (Chardonnay/Pinot Noir/Riesling Itálico)
Vinícola Geisse – vinho base espumante (Chardonnay/Pinot Noir


C
ategoria branco fino seco não aromático
Vinícola Salton – Riesling itálico
Vinícola Fazenda Santa Rita – Chardonnay
Vinícola Góes & Venturini Ltda – Chardonnay.
Cooperativa Vinícola Nova Aliança Ltda – Chardonnay

 

Categoria branco fino seco aromático
Vinícola Giacomin – Moscato giallo

Categoria tinto fino seco jovem
Giacomin Ind. De Bebidas – Vinhos Hortência – Cabernet sauvignon

Categoria tinto fino seco
Vinícola Góes – Cabernet franc

Leia também: O merlot brasileiro é o melhor do mundo?

9-SYRAH_GR-sin-año

  • WINES OF CHILE – Melhores vinhos de 2014 eleitos pelo júri da 12º Wines of Chile Awards (AWoCA)

A décima segunda edição deste concurso foi realizado pela primeira vez no Brasil, e pesou o paladar brasileiro na distribuição dos prêmios. Aqui não se trata de uma lista por ordem de classificação, mas do melhor vinho por categoria. Um syrah, da Casas del Bosque, foi eleito o melhor entre todos os vinhos degustados e premiados.

Best in the Show

Syrah Gran Reserva 2012/Viña Casas del Bosque

 

Premium Red

Armida 2009/De Martino

 

Premium White

Amelia 2013/Concha y Toro

 

Other Reds

Tama Vineyard Selection Carignan 2013/Viña Anakena

 

Other Withes

Single Vineyard Neblina Riesling 2011/Leyda

 

Blends

5 Cepas 2013/Casa Silva

 

Rosé

Gallardía del Itata Cinsault 2014/De Martino

 

Sparkling Wine

Brut Nature/Viña Morandé

 

Late Harvest

Erasmo Late Harvest Torontel 2009/Erasmo

 

Cabernet Sauvignon

Gran Terroir de los Andes – Los Lingues Cabernet Sauvignon 2012/Casa Silva

 

Carmenere

Carmenere Reserva 2013 Pedriscal Vineyard/Falernia

 

Pinot Noir

Pinot Noir Reserva 2013/Falernia

 

Syrah

Syrah Gran Reserva 2012/Viña Casas del Bosque

 

Chardonnay

Tarapacá Gran Reserva Chardonnay/Viña Tarapacá

 

Sauvignon Blanc

Specialties Sauvignon Blanc O

sol_de_sol_Chardonnay_2009-720x960

  • CHILE – GUIA DESCORCHADOS 2015

O Guia Descorchados tornou-se uma referência dos vinhos Chilenos. Abaixo a lista dos destaques da degustação em suas respectivas categorias:

 

Melhor tinto

Cousiño Macul Lota Cabernet 2009 – 97 Pontos

 

Melhor branco

De Martino Viejas Tinajas Muscat 2013 – 96 pontos

 

Branco revelação

Sierras de Bellavista Riesling 2013 – 92 pontos

 

Tintos revelação

Tabalí Roca Madre Malbec 2014 – 93 pontos

Santa Carolina Specialties tinto de Montaña Malbec 2013 – 94 pontos

Concha y Toro Marques de Casa Concha País Cinsault 2014 – 93 pontos

J.A Jofré Vinos Fríos del Año Carignan Tempranillo Carmenére 2014 – 93 pontos

 

Marca revelação

Sol de Sol, Aquitania

 

Bodega revelação

House Casa del Vino e El Viejo Almacén de Souzal

 

Melhor Cabernet Franc

Maquis Franco 2011 – 96 pontos

 

Melhor Cabernet Sauvignon

Cono Sur Silencio 2010 – 96 pontos

Santa Rita Casa Real Reserva Especial 2011

 

Melhor Carignan

Bodegas RE Re Nace Cariñena 2013 – 95 pontos

 

Melhor Carmenére

Concha y Toro Terrunyo Lote 1 2013 – 95

 

Melhor Chardonnay

Aquitania Sol de Sol 2011 – 96 pontos

 

Melhor Cinsault

De Martino Viejas Tinajas 2014 – 94 pontos

 

Melhor espumante

Bodegas RE Re Noir Nature Virgen Pinot Noir – 94 pontos

Morandé Nature Chardonnay/Pinot Noir – 94 pontos

 

Melhor Malbec

House Casa del Vino 2013 – 93 pontos

Viu Manet Viu 1 2011 – 93 pontos

 

Melhor Merlot

Tres Palacios cholqui 2011 – 93 pontos

 

Melhor mescla branca

Apaltagua Coleccíon Blanc 2014 – 93 pontos

Ramirana Gran Reserva 2014 – 93 pontos

William Févre 2012 – 93 pontos

 

Melhor mescla tinta

Cousino Macul Lota Cabernet 2009 – 97 pontos

 

Melhor moscatel

De Martino Viejas Tinajas Muscat 2013 – 96 pontos

 

Melhor outras cepas brancas

Casa Marin Casona Vineyard Gewurztraminer 2014 – 94 pontos

 

Melhor outras cepas tintas

Lapostolle Collection Monastrel 2013 – 93 pontos

Pérez Cruz Chaski Petit Verdot 2012 – 93 pontos

 

Melhor País

Concha y Toro Marques de Casa Concha Limited Edicion 2014 – 93 pontos

 

Melhor Pinor Noir

Maycas de Limarí San Julián 2013 – 93 pontos

Montsecano 2013 – 93 pontos

Tabalí Talinay 2013 – 93 pontos

 

Melhor Riesling

Sierras Bellavistya 2014 – 94 pontos

 

Melhor Rosado

Bodegas RE Pinotel Pinot Noir Moscatel 2014 – 92 pontos

 

Melhor Sauvignon Blanc

Labirinto 2014 – 96 pontos

Leyda Lot 4 2014 – 96 pontos

 

Melhor Syrah

Errázuriz Costa 2013 – 95 pontos

Leyda Lot 8 2012 – 95 pontos

Undurraga TH 2012 – 95 pontos

 

Super preço extremo branco

Cono Sur Bicicleta Gewurztraminer 2014 – 89 pontos

 

Super preço extremo tinto

Santa Rita 120 Reserva Especial Cabernet Sauvignon 2013 – 89 pontos

 

Super preço branco

Leyda Garuma Vineyard Sauvignon Blanc 2014 – 94 pontos

 

Super preço tinto

Cacique Maravilla 2014 – 92 pontos

Maycas de Limarí Sumaq Pinor Noir 2013 – 92 pontos

bodega-del-fin-del-mundo-fin-single-vineyard-malbec-neuquen-argentina-10337239

  • WINES OF ARGENTINA – Melhores vinhos Concurso Wines of Argentina Awards (WAA) 2014

O prestigiado concurso do WAA é uma referência entre os produtores da Argentina. Este colunista acompanhou a premiação deste ano. Abaixo os resultados.

Espumantes – método tradicional

faixa de preço entre 13.00 e 19.99 dólares

Zuccardi Blanc de Blancs 2007- Familia Zuccardi

Importado pela Ravin

 

Torrontés

faixa de preço entre 13.00 e 19.99 dólares

Colomé Torrontés 2013- Bodega Colomé

Importado pela Decanter

 

 Cabernet franc

faixa de preço  entre 20.00 e 29.99 dólares

Numina Cabernet Franc 2011- Bodegas Salentein SA

Importado pela Zahil

 

acima de 50.00 dólares

Andeluna Pasionado Cabernet Franc 2010- Andeluna Cellars Srl

Importado pela World Wine

 

Cabernet sauvignon

faixa de preço entre 30.00 e 49.99 dólares

Bramare Lujan de Cuyo Cabernet Sauvignon 2011-Viña Cobos SA

Importado pela Grand Cru

 

Malbec

faixa de preço entre 13.00 e 19.99 dólares

Es Vino Reserve Malbec 2012- Es Vino Wines

Ainda sem importadora no Brasil

 

faixa de preço entre 20.00  e 29.99 dólares

Alta Vista Terroir Selection Malbec 2011- La Casa del Rey SA- Alta Vista

Importado pela Épice

 

faixa de preço entre 30.00  e 49.99 dólares

Vineyard Selection Malbec 2012- Riccitelli Wines

futura importação pela Wine Brands

 

faixa de preço acima de 50.00 dólares

Republica del Malbec – Blend de Terroirs 2012- Riccitelli Wines

futura importação pela Wine Brands

 

Blends de tintos

faixa de preço entre 13.00  e 19.99 dólares

Paz Blend 2012- Finca Las Moras

Importado pela Decanter

 

faixa de preço entre 30.00 e 49.99 dólares

Field Blend 2011- Zorzal Wines

Importado pela Grand Cru

 

acima de 50.00 dólares

Decero Amano, Remolinos Vineyard 2011- Finca Decero

 

Medalhas por região

Mendoza

Lindaflor Malbec 2009, Monteviejo

 

Norte

Serie Fincas Notables Malbec 2011, Bodega El Esteco

Importado pela Bruck

 

San Juan

Paz Blend 2012, Finca Las Moras

Importado pela Decanter

 

Patagônia

 Fin Single Vineyard Cabernet Franc 2010, Bodega del Fin Del Mundo

Importado pela Mr Man

  • PORTUGAL –  50 melhores vinhos de Portugal

O único master of wines do Brasil, Dirceu Vianna Júnior, que mora e trabalha em Londres. teve a árdua missão de selecionar entre 500 rótulos portugueses os 50 mais representativos do país. Esta é a sua lista, apresentada em um evento em São Paulo:

 BRANCOS

1. Covela Escolha Branco, 2012

Produtor: Lima Smith

Região: Vinho Verde

Uvas: avesso e chardonnay

Importador: Magnum Importadora

2. Quinta da Levada, 2012

Produtor: Quinta da Levada Sociedade Agrícola

Região: Vinho Verde

Uva: azal

Sem importador

3. Soalheiro, 2012

Produtor: Quinta do Soalheiro

Região: Vinho Verde

Uva: alvarinho

Importador: Mistral

4. Quinta de Gomariz Grande Escolha, 2012

Produtor: Quinta de Gomariz

Região: Vinho Verde

Uva: alvarinho, loureiro e trajadura

Importador: Decanter

5. Casa da Senra, 2012

Produtor: Abrigueiros – Produções Agrícolas e Turismo

Região: Vinho Verde

Uva: loureiro

Sem importador

6. Tapada dos Monges, 2012

Produtor: Manoel da Costa Carvalho Lima & Filhos

Região: Vinho Verde

Uvas: loureiro, arinto e trajadura

Importadores: Garrafeira Real e Fadaleal Supermercados

7. Muros Antigos, 2012

Produtor: Alselmo Mendes Vinhos

Região: Vinho Verde

Uva: loureiro

Importador: Decanter

8. Portal do Fidalgo, 2011

Produtor: Provam

Região: Vinho Verde

Uva: alvarinho

Importador: Casa Flora Ltda

9. Muros de Melgaço, 2011

Produtor: Anselmo Mendes Vinhos

Região: Vinho Verde

Uva: alvarinho

Importador: Decanter

10. Royal Palmeira, 2009

Produtor: Ideal Drinks

Região: Vinho Verde

Uva: loureiro

Importador: Idealdrinks & Gourmet

11. Quinta da Fonte do Ouro Encruzado, 2011

Produtor: Sociedade Agrícola Boas Quintas

Região: Dão

Uva: encruzado

Importador: Adega dos 3

12. Morgado de Santa Catherina, 2010

Produtor: Companhia das Quintas Vinhos

Região: Lisboa

Uva: arinto

Importador: Wine .com

13. Redoma Reserva, 2011

Produtor: Niepoort (vinhos)

Região: Douro

Uva: rabigatto, codega, donzelinho e arinto

Importador: Mistral

14. Conceito Branco, 2010

Produtor: Conceito Vinhos

Região: Douro

Uva: (mistura de vinhas velhas)

Importador: Épice

vallado

TINTOS

15. Cortes de Cima Trincadeira, 2011

Produtor: Cortes de Cima

Região: Alentejo

Uva: trincadeira

Importador: Adega Alentejana

16. Terra D’Alter Touriga Nacional, 2010

Produtor: Terra D’Alter Companhia de Vinhos

Região: Alentejo

Uva: touriga nacional

Importador: Obra Prima Importadora

17. Herdade da Pimenta Grande Escolha, 2010

Produtor: Logowines

Região: Alentejo

Uvas: syrah, touriga nacional e touriga franca

Importador: RJU Comércio e Beneficiamento de Frutas e Verduras

18. Tinto da Talha Grande Escolha, 2009

Produtor: Roquevale

Região: Alentejo

Uva: syrah, alicante bouschet e touriga nacional

Importador: Adega Alentejana

19. Canto X, 2009

Produtor: Herdade da Madeira Velha

Região: Alentejo

Uvas: alicante bouschet e touriga nacional

Sem importador

20. Cartuxa, 2009

Produtor: Cartuxa – Fundacão Eugénio de Almeida

Região: Alentejo

Uvas: aragonez, trincadeira e alicante bouschet

Importador: Adega Alentejana

21. Cortes de Cima Reserva, 2009

Produtor: Cortes de Cima

Região: Alentejo

Uvas: aragonez, syrah, petit verdot e touriga nacional

Importador: Adega Alentejana

22. Dona Maria Reserva, 2008

Produtor: Julio Bastos – Dona Maria

Região: Alentejo

Uvas:, alicante bouschet, petit verdot e syrah

Importador: Decanter Vinhos

23. Conde D’Ervideira Private Selection Tinto, 2008

Produtor: Ervideira, Sociedade Agrícola

Região: Alentejo

Uvas: aragonez, trincadeira e Alicante bouschet

Importador: Intercom Comércio Internacional

24. Aliança Bairrada Reserva, 2011

Produtor: Aliança Vinhos de Portugal

Região: Bairrada

Uvas: touriga nacional, baga e tinta roriz

Sem importador

25. Vinha Pan, 2009

Produtor: Luís Pato

Região: Bairrada

Uva: baga

Importador: Mistral

26. Marquesa de Alorna Reserva, 2009

Produtor: Quinta da Alorna Vinhos

Região: Tejo

Uvas (não divulgado)

Importador: Adega Alentejana

27. Julia Kemper, 2009

Produtor: Cesce Agrícola

Região: Dão

Uvas: touriga nacional, tinta roriz, alfrocheiro e jaen

Importador: Gracciano Com. Imp. Exp. Bebidas

28. Quinta Fonte do Ouro Touriga Nacional, 2009

Produtor: Sociedade Agrícola Boas Quintas

Região: Dão

Uva: toruiga nacional

Importador: Adega dos 3

29. Casa da Passarela Vinhas Velhas, 2009

Produtor: O Abrigo da Passarela

Região: Dão

Uvas: castas autóctones

Importador: Vinica

30. Quinta do Serrado Reserva, 2009

Produtor: Sociedade Agrícola Castro Pena Alba – FTP Vinhos

Região: Dão

Uvas: touriga nacional, alfrocheiro e jaen

Sem importador

31. Quinta do Perdigão Touriga-Nacional, 2008

Produtor: Quinta do Perdigão

Região: Dão

Uva: touriga nacional

Importador: Mistral

32. Quinta da Bica Reserva, 2005

Produtor: Quinta da Bica Sociedade Agrícola

Região: Dão

Uvas: touriga nacional, alfrocheiro, tinta roriz e jaen

Importador: Gianno Import

33. Quinta do Vallado Reserva Field Blend Douro Tinto, 2011

Produtor; Quinta do Vallado Sociedade Agrícola

Região: Douro

Uvas: vinhas velhas de 100 anos e touriga nacional

Importador: Cantu

34. Quinta da Casa Amarela Grande Reserva, 2011

Produtor: Laura Valente Regueiro

Região: Douro

Uvas: touriga franca, tinta roriz e touriga nacional

Importador: Winemundi

35. Casa Ferreirinha Callabriga, 2010

Produtor: Sogrape Vinhos

Região: Douro

Uvas: toruiga franca, touriga nacional e tinta roriz

Importador: Zahil

36. Quinta do Crasto Reserva Vinhas Velhas, 2010

Produtor: Quinta do Crasto

Região: Douro

Uvas: 25 a 30 uvas diferentes de vinhas velhas

Importador: Qualimpor

37. Pintas, 2010

Produtor: Wine & Soul

Região: Douro

Uvas: vinhas velhas

Importador: Adega Alentejana

38. Poeira, 2010

Produtor: Jorge Moreira Produção e Comercialização de Vinhos

Região: Douro

Uvas: vinhas velhas

Importador: Mistral

39. Batuta, 2010

Produtor: Nieepoort (Vinhos)

Região: Douro

Uvas: touriga franca, tinta roriz, rufete, malvazia entre outras

Importador: Mistral

40. Passadouro Touriga Nacional, 2010

Produtor: Quinta do Passadouro Sociedade Agrícola

Região: Douro

Uva: touriga nacional

Importador: Adega Alentejana

41. Quinta do Pessegueiro, 2010

Produtor: Quinta do Pessegueiro Sociedade Agrícola

Região: Douro

Uvas: touriga nacional, touriga franca, vinhas velhas e roriz

Importador: World Wine

42. CV-Curriculum Vitae, 2010

Produtor: Lemos & Van Zeller

Região: Douro

Uvas: variadas

Importador: World Wine

43. Quinta de la Rosa Reserva, 2009

Produtor: Quinta da Rosa Vinhos

Região: Douro

Uvas: touriga nacional, touriga franca e tinta roriz

Importador: Ravin

44. Chryseia, 2009

Produtor: Symington Family Estates Vinhos

Região: Douro

Uvas: touriga nacional e touriga franca

Importador: Mistral

45. Quinta do Noval Touriga Nacional, 2009

Produtor: Quinta do Noval

Região: Douro

Uvas: touriga nacional

Importador: Adega Alentejana

46. Quinta do Portal Auru, 2009

Produtor: Quinta do Portal

Região: Douro

Uvas: touriga nacional, touriga franca e tinta roriz

Importador: Wine & Roses / Chaves & Oliveira

 

FORTIFICADOS

47. Bacalhôa Moscatel Roxo, 2001

Produtor: Bacalhôa Vinhos de Portugal

Região: Península de Setúbal

Uva: muscatel roxo

Importador: Portus Cale Exp. Imp.

48. Justino’s Madeira Colheita, 1995

Produtor: Justino’s Madeira Wines

Região: Madeira

Uva: tinta negra

Importador: Porto a Porto / Casa Flora

49. Graham’s Tawny 30 anos

Produtor: Symigton Family Estates

Região: Douro

Uvas: touriga nacional, touriga franca, tinta barroca, tinta roriz e tinta cão

Importador: Mistral

50. Burmester Porto Colheita, 1963

Produtor: Sogevinus Fine Wines

Região: Douro

Uvas: tradicionais do Douro

Importador: Adega Alentejana

Outras listas

Top 20 white and fortificad wines – Jancis Robinson

Top 20 sparkling wines – Jancis Robinson

 

 

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 24 de abril de 2013 Degustação, Espumantes, Nacionais, Novo Mundo, Porto, Rosé, Tintos, Velho Mundo | 09:00

Os homens que cospem vinho elegem os onze melhores vinhos da ExpoVinis 2013

Compartilhe: Twitter

Onde foi parar todo mundo?

Um incauto que invadir uma sala de degustações de um concurso de vinho após uma prova vai deparar com uma visão parecida com a da foto ao lado. Inúmeras taças com bons mililitros de vinho e baldes cheios da bebida. Se tiver a oportunidade de observar, momentos antes, os jurados provando os tintos, brancos, espumantes e fortificados acompanhará um festival de giradas de taça, fungadas, bochechos, caretas de desagrado alternadas com suspiros de aprovação, e finalmente cusparadas leves e elegantes (se é que isso é possível) do vinho em copos de plástico que em seguida serão entornados em baldes maiores. Qual o pensamento que passará por sua cabeça? “Este povo não gosta de vinho!” Na verdade, estão em pleno trabalho Os Homens que Cospem Vinho e sua função nesta sala é escolher os dez melhores vinhos da ExpoVinis 2013– 16º edição da feira mais importante de vinho da América Latina -, no tradicional concurso Top Ten, que tenho a honra de ser convidado pelo sexto ano como jurado (perdoai-lhes, eles não sabem o que fazem…).

E eles (nós) não bebem todo aquele vinho disponível por um motivo muito simples: são 224 amostras em dois dias, ninguém sobreviveria para contar o final da história. Os doze jurados se reúnem para escolher um vinho de consenso que vai para o trono de cada uma das dez categorias do concurso. Este consenso é resultado das anotações e notas de todos os jurados que somadas chegam a uma média ponderada e ao fermentado campeão.

Este ano os organizadores decidiram dar mais espaço ao vinho nacional e dividiram a categoria “Tintos Nacionais” em duas: os representantes da “Serra Gaúcha”, que produzem cerca de 80% dos tintos do país, e “Outras Regiões”, fruto do potencial de novas áreas vinícolas do Brasil. O Top Ten de 2013, por uma questão de empate na categoria Velho Mundo, acabou elegendo onze vinhos. Abaixo a lista dos vencedores em cada categoria.

Os campeões: 11 vinhos, 12 jurados e nenhum segredo

Vencedores do TOP Ten 2013

ESPUMANTE NACIONAL – total de 13 amostras

Villaggio Grando Espumante Brut Rosé 2012

Região: Água Doce, Santa Catarina

Uvas: pinot noir e merlot

ESPUMANTE IMPORTADO – total de 11 amostras

Aida Maria Rosé Brut Reserva 2007

Região: Douro, Portugal

Uva: touriga nacional

BRANCO NACIONAL – total de 19 amostras

Da’divas Chardonnay 2012, Lidio Carraro

Região: Terras da Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul

Uva: chardonnay

BRANCO IMPORTADO – total de 30 amostras

Casas Del Bosque Sauvignon Blanc Reserva 2001

Região: Casablanca, Chile

Uva: sauvignon blanc

TINTO NACIONAL  SERRA GAÚCHA – total de 15 amostras

Perini Quatro 2009

Região: Vale do Trentino, Rio Grande do Sul

Uvas: cabernet sauvignon, merlot, tannat, ancellotta

TINTO NACIONAL OUTRAS REGIÕES – total de 14 amostras

Pericó Basaltino Pinot Noir 2012

Região: São Joaquim, Santa Catarina

Uva: pinot noir

ROSÉ – total de 6 amostras

Maquis Rosé 2012

Vale Aconchágua, Chile

Uva: malbec

TINTOS NOVO MUNDO – total de 32 amostras

Vistalba Corte A 2009

Região: Mendoza, Argentina

Uvas: cabernet sauvignon, malbec

TINTO VELHO MUNDO – total de 70 amostras

Santa Vitoria Grande Reserva 2008

Região: Alentejo, Portugal

Uvas: touriga nacional, cabernet sauvignon,  syrah

Sacagliola Sansì Selezione Barbera d’Asti 2009

Região: Piemonte, Itália

Uva: Barbera

DOCES E FORTIFICADOS – total de 14 amostras

Quinta Do Noval Porto Tawny 40 Anos

Região: Porto, Portugal

Uvas: tinta barroca, tinta roriz, touriga francesa, touriga nacional

Todos os vinhos estão expostos na ExpoVinis 2013, que vai abrigar mais de 400 expositores nos dias 24, 25 e 26 de abril no pavilhão azul da Expo Center Norte em São Paulo (veja ficha abaixo)

O nomes dos culpados pela eleição dos onze vinhos acima

Presidentes de mesa

Hector Riquelme – sommelier chileno

Mario Telles Jr –  ABS-SP

Jurados

Jorge Carrara – Prazeres da Mesa

Marcio Pinto – consultor e ABS-MG

Celito  Guerra – Embrapa

Beto Gerosa – Blog do Vinho

Gustavo Andrade de Paulo – ABS-SP

José Luiz Paligliari – Senac

Ricardo Farias – Sbav Rio de Janeiro

José Luis Borges – ABS-SP

Diego Arrebolla  – sommelier grupo Pobre Juan

Manoel Beato – sommelier grupo Fasano

Leia também: Como funcionam as degustações nos concursos

Todas as cores

E os vinhos eram bons?

Quando o painel é tão diverso e com tantas categorias a qualidade varia na mesma proporção do volume oferecido. Vale lembrar que o concurso é sempre às cegas, não sabemos o que estamos bebendo, apenas a categoria. Há grandes disputas entre bons vinhos que se afunilam numa espécie de tira-teima entre os melhores, há categorias que um rótulo se sobressai sobre os demais dada a sua superioridade – um Tawny 40 anos por exemplo é uma covardia – e outras que a média é muito parecida. Em Tintos do Novo Mundo, por exemplo, haviam exemplares com taninos (aquela sensação de adstringência que seca a boca mas é importante na estrutura e envelhecimento dos vinhos) tão agressivos que quase saí da sala e fui abrir um Boletim de Ocorrência. Claro, eram mais de 30 amostras, aparece de tudo. Os tintos nacionais apresentaram uma boa média e sempre surgem novos rótulos que acabam surpreendendo. Estas descobertas são uma das belezas de participar de um concurso desses. Curiosa superioridade dos espumantes rosés no resultado final. Eu gostei da escolha! Os brancos são menos prestigiados pelos produtores e poucos rótulos são enviados, o que prejudica a avaliação. Ah, importante, cada expositor tem direito a enviar dois vinhos na categoria que escolher. São estes os vinhos avaliados e não todos os vinhos da Expovinis, obviamente.

A prova acabou, mas sobrou vinho na taça

Mas dá para avaliar um vinho sem engolir?

Sobre a quantidade de vinho servida para o teste:

Aconselha-se a colocar na boca um volume pequeno de vinho, de cerca de 6 a 10 mililitros. (…) O volume utilizado deve ser sempre o mesmo para cada vinho, caso contrário torna-se impossível qualquer comparação rigorosa. (…) O copo de degustação deve ser simples, com capacidade de cerca de 200 mililitros, sem floreios, de paredes finas, sem cheiro de guardanapo nem de pano de prato. O copo normatizado pelo INAO-AFNOR e suas variantes é muito apropriado. O líquido a um terço de sua capacidade permite leve agitação necessária para liberar as moléculas odoríferas do vinho

Sobre cuspir o vinho nas degustações

Geralmente o degustador, ao longo dos exercícios profissionais, cospe o mais completamente possível o trago de vinho. Não é que a degustação seja melhor quando o vinho é expelido, ao contrário, aliás. Mas, evidentemente, seria impossível para o provador beber sem prejuízo alguns tragos dos dez ou trinta vinhos que frequentemente ele degusta numa mesma seção (…) Algumas pessoas estão convictas de que, se não engolirem, não terão nenhuma sensação; situam na “garganta” o centro da degustação por que, na verdade, elas engolem diretamente mas não degustam.

SERVIÇO

ExpoVinis 2013 – site oficial

DATA
24, 25 e 26 de Abril de 2013

LOCAL
Expo Center Norte – Pavilhão Azul
São Paulo – SP – Brasi

HORÁRIOS
24 de Abril
Profissional → 13h às 21h

25 de Abril
Profissional → 13h às 21h
Consumidor → 17h às 21h

26 de Abril
Profissional → 13h às 20h
Consumidor → 17h às 20h

PREÇOS

Entrada com direito a uma taça de cristal: R$ 70,00 (Valor de 3º lote)
Entrada estudante sem taça: R$ 35,00 (Valor de 3º lote)
Taça Avulso: R$ 30,00

Autor: Tags: , , , , , , ,

terça-feira, 17 de abril de 2012 Degustação | 07:56

Maratona de feiras de vinho de 2012 começa em abril

Compartilhe: Twitter

Para todos os gostos: vinhos de todos os países em quatro feiras

Nas últimas semanas o vinho saiu da garrafa e foi parar nos gabinetes de Brasília, nos corredores das associações e escorreu nas páginas dos portais, jornais e redes sociais por conta da eminente adoção da medida protecionista da Salvaguarda do Vinho Nacional. Esta semana o vinho volta para as taças dos consumidores, enófilos e negociantes do ramo com a abertura da temporada de feiras e encontros em São Paulo e no Brasil. O debate da salvaguarda provavelmente vai dominar as conversas entre os especialistas, mas pelo menos desta vez será acompanhado de um tinto, um branco ou um espumante – importado e nacional, a gosto do freguês, como deve ser.

Se você adora vinho, não perde uma oportunidade de provar novidades e quer checar safras recentes, guarde um espaço em sua agenda para visitar as feiras de vinho que invadem a cidade de São Paulo, Rio e Brasília  em abril e maio. São quatro eventos na sequência.

  • A World Wine Experience 2012, feira organizada pela importadora do mesmo nome que começa nesta terça (17) sua versão paulista e viaja para Rio e Brasília;
  • O Encontro De Vinhos Off, criado pelos especialistas e blogueiros Beto Duarte e Daniel Perches, exclusivo de São Paulo
  • A ExpoVinis Brasil 2012, o megaevento de vinhos que se encontra em sua 16a edição, que reúne o mundo do vinho brasileiro na capital paulista
  • O Interfood Todo Vino Wine Tour 2012, primeira feira organizada pela importadora Interfood, com versões paulistas e cariocas.

Em comum eles compartilham a proposta de que melhor do que conversar sobre vinho é conversar provando e conhecendo mais sobre a bebida.  E assim  tirar suas próprias conclusões.

Como são os eventos

No geral, eles seguem uma mesma fórmula. Funciona assim: sobre uma bancada ficam expostos os rótulos e os goles são servidos pelos produtores e representantes das vinícolas que ficam do outro lado com a garrafa em punho e um sorriso nos lábios. No geral mapas e folhetos ilustram a região, informam o visitante sobre a empresa e suas uvas. Os dublês de garçons transmitem com interesse qualquer informação sobre seu trabalho. Mas fica a dica: o sorriso nos lábios e atenção em tratar bem o visitante podem desaparecer quando você pula os vinhos mais básicos e vai direto no rótulo mais top – e caro – do produtor. Se as feiras têm uma etiqueta, esta é uma das regras básicas: prove um pouco de tudo. E ninguém vai ficar chateado se você cuspir um pouco do vinho nos baldes que estão lá para isso mesmo. O objetivo é experimentar, conhecer e saborear uma variedade maior de tintos, brancos, espumantes e fortificados de toda parte do mundo. E não ficar embriagado.

WORLD WINE EXPERIENCE 2012 – O nome é em inglês, mas a experiência é poliglota. Em sua oitava edição a importadora World Wine, que recentemente incorporou a loja e também importadora Enoteca Fasano ao seu portfólio, coloca cerca de 60 produtores de diversos países frente a frente aos consumidores. É uma oportunidade de provar diferentes sabores e conversar sobre os caldos com os próprios produtores, enólogos e representantes das vinícolas. A World Wine tem vinhos de todo o mundo, do novo e do velho, mas as garrafas da Itália e da França são um diferencial do catálogo da importadora comandada por Celso LaPastina.

A França apresenta suas armas com rótulos produzidos pela da Billecart-Salmon, Hugel & Fils, Família Perrin, Chateau Roubine, Domaine  Laroche, Domaines Devillard, Marcel Lapierre, e os Châteaux Le Puy, Bois Pertuis, Beychevelle, Penin, Carignan, d´Angludet, Barrail Du Blanc, de Sales, Canon, Rauzan-Ségia, La Louvière (Lurton), Marjosse, Doisy-Védrines e Castera. A Itália é representada pelas vinícolas de Feudi di San Gregorio, Zenato, Foradori, Castello Banfi, Tenuta Sette Ponti, Fattoria La Massa, Bava, Bruno Rocca, Travaglini, Donnafugata, Vini Farnese, Feudi de San Marzano, Poggiotondo, Icardi e Tua Rita.

SERVIÇO

World Wine Experience:

São Paulo – 17 de Abril
Casa Fasano (Rua Leopoldo Couto de Magalhães Jr, 912 – Itaim Bibi)
Horário: das 15h30 às 21h00
Eventos especiais: Degustações temáticas paralelas
Ingresso: R$ 250,00 (com direito a buffet de massas e frios durante o evento)

Brasília – 18 de abril
Local: Hotel Naoum (SHS Qd. 05, Bloco H)
Horário: das 15h às 21h
Eventos especiais: Degustações temáticas paralelas
Ingresso: R$ 250,00

Rio de Janeiro 19 de abril
Local: Fogo de Chão (Av. Repórter Nestor Moreira, s/n – Botafogo)
Horário: das 15h às 21h
Eventos especiais: Degustações temáticas paralela
Ingresso: R$ 250,00

ENCONTRO DE VINHOS OFF– O nome já dá a dica de que se trata de um encontro um pouco mais informal, sem aquele exagero de expositores que muitas vezes deixam o participante perdido e as papilas gustativas exaustas. É o terceiro ano do encontro que se mantém fiel às origens de permitir uma troca maior entre os consumidores e os produtores e importadores que expõe seus rótulos. Segundo o publicitário e blogueiro Daniel Perches, um dos organizadores do evento,  ”O Encontro de Vinhos OFF preza pela qualidade dos expositores e pela experiência proporcionada aos visitantes de forma mais descontraída.” Quem for encher suas taças no Vinhos OFF vai deparar com importadores como Max Brands, Cantu, Brown-Forman e produtores nacionais como Vinícola Aurora, Miolo, Domno.

SERVIÇO

Encontro de Vinhos OFF
São Paulo – 23 de abril
Local: Bendita Hora Perdizes – Rua Wanderley, 795
Horário: das 12h as 22h
Ingressos: R$ 60,00

Estique o braço e garanta sua taça cheia

EXPOVINIS, 16a EDIÇÃO – Trata-se de uma megafeira de negócios do setor, mas que libera parte final de seu horário para o consumidor final. Nos dias e horários abertos aos consumidores, a disputa por um determinado rótulo é um tanto mais complicada. Exige do visitante o braço constantemente esticado com a taça em punho e uma certa dose de paciência. Mas vale a pena. O raciocínio é simples. Funciona como um rodízio de vinho. Por um preço único é possível conhecer e provar inúmeros rótulos, conversar pessoalmente com produtores e enólogos e ainda levar para casa algumas garrafas com algum desconto. Prepare o fígado. Além de incontáveis espaços dedicados  a importantes importadores (bom, não participam as maiores importadoras que têm eventos próprios como a Mistral, Vinci, World Wine e Decanter), as associações representantes de regiões produtores  como ViniPortugal, Wines of Chile e Wines of Argentina marcam presença neste labirinto de Baco. A produção nacional é representada tanto por grandes estandes das principais vinícolas verde-amarelas, como Miolo, Saltom e Valduga, como pelas principais associações do setor, como Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), Acavits (Associação Catarinense de Produtores de Vinhos Finos de Altitude). Salvaguardas à parte, é uma ótima oportunidade de provar inúmeros rótulo nacionais.

Além disso, durante os três dias da feira são promovidas diversas degustações premium (cobradas a parte e que necessitam reserva, veja abaixo). No dia 24, às 17 horas, os jurados do concurso Top Ten 2012 falam sobre os vencedores da degustação. Este que vos escreve faz parte do júri há mais de cinco edições. No mesmo dia, às 19h30, o enófilo e professor da ABS Mário Telles Junior discorre  sobre os “Novos Vinhos Premium de Portugal”. No dia 25, às 17 horas, o diretor da Revista de Vinhos, o português Luís Lopes volta ao tema e comanda a prova “Os 10 Vinhos Nacionais do Top Ten 2012”. Também no dia 25, às 19h30, o especialista Jorge Lucki conduz o a prova “A grande diversidade e qualidade do ‘novo Chile’.

Como o tamanho da ExpoVinis pode assustar o marinheiro de primeira viagem, recomenda-se utilizar do mapa do evento distribuído na entrada e fazer uma seleção prévia do que se pretende experimentar e conhecer. Deixe o carro em casa e vá de taxi.

SERVIÇO

ExpoVinis Brasil 201216ª Salão Internacional do Vinho
São Paulo – 24 a 26 de abril*
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Azul – Vila Guilherme – São Paulo
Horário: das 13h às 21h para profissionais do setor nos dias 24 e 25 de abril, e das 13h às 20h no dia 26 de abril. Aberto ao consumidor final das 18h às 21h no dia 25 e das 17h às 20h no dia 26 de abril.
Ingressos (Consumidor Final): R$ 50,00 incluindo taça para degustação

*O primeiro dia de evento será reservado exclusivamente para profissionais do setor.
Informações e credenciamento visitantes: www.expovinis.com.br
e-mail: contato@expovinis.com.br ou na Exponor Brasil tel. (11) 3149.9444
Informações e reservas para as degustações pelo e-mail degustacoes@exponor.com.br ou no telefone (11) 3141-9444.

INTERFOOD TODO VINI WINE TOUR 2012 – Outra importadora, a Interfood Todo Vino,  entra no circuito das feiras de vinho e apresenta seu portfólio líquido reunindo mais de 40 produtores de todo o planeta, como França, Itália, Espanha, Portugal, Argentina, Chile, Uruguai, Austrália e África do Sul. Fazem parte da festa produtores conhecidos do público como o italiano Bolla, o português Aveleda, o chileno Santa Helena (que traz seu enólogo Matias Rivera) e os argentinos Trapiche e Navarro Correas. Marcas mais cultuadas como as italianas Elio Grasso (com a presença do enólogo Gianlucca Grasso), Rocche dei Manzoni (também com seu enólogo Giuseppe Albertino), a australiana Penfolds e o Porto Calém também carimbam seu passaporte.

SERVIÇO

Interfood Todo Vino Wine Tour 2012
São Paulo – 2 de Maio:
Local: Hotel Tivoli, Al. Santos, 1437 – Jardins
Horário: das 15:00 às 21:00
Ingressos: R$150,00*

Rio de Janeiro – 3 de Maio
Local: Clube Naval Piraquê, Av. Borges de Medeiros, 2364 – Lagoa
Horário: das 15:00 às 21:00
Ingressos: R$150,00*

ATENÇÃO: não serão vendidos ingressos nos locais do evento, somente através do telefone (11) 2602-7266.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 26 de abril de 2011 Degustação | 11:33

Concurso elege os dez melhores vinhos da Expovinis 2011

Compartilhe: Twitter

Taças na mesa: 156 vinhos depois os Top Ten da Expovinis 2011

Pelo quarto ano consecutivo tive a honra de fazer parte do júri do Top Ten da maior feira de vinhos do Brasil, a Expovinis, que ocorre em São Paulo e chega a sua 15a edição. A feira é um acontecimento no mundo do vinho e despeja quantidades industriais de tintos, brancos, espumantes, doces e rosados nas taças dos visitantes que percorrem seus corredores.

Os homens que cospem vinho se reuniram em uma sexta e um sábado, duas semanas atrás, e com os ouvidos longe do burburinho da feira e com os narizes enfiados nas taças de 156 amostras de vinhos de diversas procedências, tipos e propostas e escolheram os 10 melhores vinhos da feira deste ano.

Na lista abaixo as quatro ou cinco primeiras colocações de cada uma das dez categorias do concurso.

Espumante Nacional

1            Casa Valduga 130 Brut – Bento Gonçalves, Brasil

2            Valmarino & Churchill Champenoise, 2009
3            Aurora Chardonnay Método Charmat
4            Peterlongo Elegance Champenoise Brut

Espumante Importado

1            Cuvée Charles Gardet – Champagne, França

2            Le Marchesine Franciacorta Brut Docg
3            Margot Extra Brut
4            Astoria Prosecco Cartizze
5            Zonin Prosecco Doc

Branco Sauvignon Blanc

1            Casas Del Bosque Pequeñas Producciones Sauvignon Blanc, 2009, Casablanca, Chile

2            Casas Del Toqui Terroir Selection Gran Reserva, 2010
3            Villa Francioni Sauvignon Blanc, 2009
4            Sanjo Núbio Sauvignon Blanc, 2010

Branco Chardonnay

1            Giaconda Nantua Vineyard Chardonnay, 2005 – Victoria, Austrália

2            Monte Agudo Terroir De Altitude Chardonnay, 2008
3            Phillippe Collin Chevalier Montrachet Grand Cru, 2007
4            Salton Virtude Chardonnay, 2008
5            Luiz Argenta Gran Reserva Chardonnay, 2009

Branco Outras Castas

1            Morgado De Sta Catherina Bucelas Reserva Arinto, 2008 – Estremadura, Portugal

2            Casa De Sarmento Maria Gomes, 2008
3            Sanjo Maestrale Integrus, 2008
4            Eral Bravo Urano Torrontés, 2010
5            Herdade Dos Grous Reserva Branco Regional, 2008

Rosado

1            Château De Pourcieux Côtes De Provence, 2010 – Provence, França

2            Chateau De L’escarelle Coteaux Varois En Provence, 2010
3            Domaine De Vignaret Rosé
4            Chateau De L’escarelle Les Belles Bastilles, 2010
5            Chateau Ferrylacombe Cascaii Rosé, 2010

Tinto Nacional

1            Pizzato DNA 99, 2005 – Bento Gonçalves, Brasil

2            Santo Emílio Leopoldo Cabernet Sauvignon Merlot, 2007
3            Viapiana Via 1986 Marselan, 2009
4            Miolo Merlot Terroir, 2008

Tinto Novo Mundo

1            Jim Barry The Mcrae Wood Shiraz, 2005  – Clare Valley, Austrália

2            Undurraga Th Pinot Noir, 2009
3            Spice Route Mourvèdre, 2008
4            Gimenez Rilli Reserva Altamira, 2007
5            Perez Cruz Quelen Special Selection, 2006

Tinto Velho Mundo

1            Roquette & Cazes, 2007 – Douro, Portugal

2            Burgos Porta Mas Sinén Coster, 2006
3            Bodegas Portia Ebeia Roble, 2009
4            Bodegas Portia Prima, 2007
5           Mouchão Colheitas Antigas, 2000

Doce / Fortificado

1            Justino’s 10 Years – Madeira, Portugal

2            Quinta Santa Maria Portento, 2006
3            Meerendal Chenin Blanc Natural Sweet, 2009
4            Dr. Loosen Ürziger Würzharten Riesling Auslese 2008
5            Pericó Ice Wine, 2009

Cada jurado registrou suas notas em um tablet

Como é o Top Ten

Vale aquela explicação anual. Os vinhos que concorrem na degustação do Top Ten da ExpoVinis são aqueles enviados pelos expositores/produtores. Não são exatamente os melhores vinhos da feira. Concorre quem quer. Eles são divididos em uma dezena de categorias e em 2011 teve a seguinte divisão de amostras: espumante nacional (17), espumante importado (7), sauvignon Blanc (4), chardonnay (15), outras uvas brancas (15), rosados (8), tintos nacionais (32), tintos novo mundo (27), tintos velho mundo (23), fortificados e doces (8). As garrafas são ensacadas, numeradas e avaliadas. As notas são registradas no sistema (este ano foi  distribuído um iPad para cada jurado),  somadas e os melhores em cada categoria levam a medalha no peito e saem anunciando por aí. Justo ou não, trata-se de um julgamento coletivo, que é mais preciso que a nota de um só critico. Os jurados só conhecem os rótulos provados no momento da divulgação do resultado. Mas…

Ao vencedor, os releases

… este ano a Exponor, organizadora do evento, resolveu divulgar os resultados para os vencedores com alguma antecedência. Foi uma quebra de regras, estragou a divulgação simultânea e desrespeitou os jurados. A feira internacional de vinho tem um foco maior nos profissionais do vinho do que no consumidor – para este último o horário de visita é limitado entre 18h e 21h. Quem participa de um concurso destes quer um titulo de “o melhor” para chamar de seu e enviar seu release com a vitória. Problema zero, vinho é um negócio como outro qualquer. Mas as mudanças das regras arranha um pouco a tradição do Top Ten.

Resultados nunca serão os mesmos

Se o julgamento fosse realizado com os mesmos vinhos e os mesmos degustadores no fim de semana seguinte o resultado poderia ser diferente? Com toda certeza. Trata-se então de uma loteria? Nem tanto, os homens que cospem vinho tem seus critérios de avaliação, uma biblioteca de sabores e aromas e mesmo a qualidade dos vinhos pode variar de garrafa para garrafa, principalmente em um concurso que a vitória é decidida por frações de pontuação. E nem sempre o néctar é um prazer. Este ano, por exemplo, alguns tintos estavam mais tânicos e duros que em provas anteriores, alguns exemplares o tanino era tão agressivo que quase fui abrir um B.O. (boletim de ocorrência) na delegacia mais próxima. É meus amigos de taças, nem tudo são flores na vida de degustador.

Os culpados pelo resultado

Jorge Carrara (Folha de São Paulo e Prazeres da Mesa),

José Maria Santana (Revista Gosto),

Marcelo Copello (Mar de Vinhos),

Gustavo Andrade de Paulo (ABS – SP, Wine Style),

Gerson Lopes (ABS – MG, Estado de Minas),

Marcio Oliveira (SBAV – MG),

José Luiz Pagliari (SBAV – SP)

Beto Gerosa (Blog do Vinho, iG)

Diogo Arrebola (Sommelier em Campinas)

Jorge Lucki (presidente e organizador)

Onde e quando: Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte, nos dias 26, 27e 28 de Abril de 2011. Aberto para o público consumidor nos dias 27 e 28 das 18h às 21h.

Leia também

Os homens que cospem vinho: como funcionam as degustações dos concursos

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 28 de abril de 2010 Degustação | 18:44

Os Top Ten da ExpoVinis 2010

Compartilhe: Twitter


Os homens que cospem vinho
se reuniram no fim de semana dos dias 25 e 26 de abril e após cheirar, bochechar e dispensar mais de 160 amostras elegeram os dez melhores vinhos da ExpoVinis, versão 2010.  Os dez melhores dentre os que enviaram garrafas para serem avaliadas no concurso Top Ten, é claro. Com uma exceção, os vinhos estão à venda nas boas lojas. Cheque a lista e veja se concorda com a opinião dos jurados:

OS TOP TEN

Espumante Nacional

Grand Legado Brut (Brasil) – Wine Park

Espumante Importado

Ferrari Perle 2002 (Itália) – Ferrari, importado pela Decanter

Branco Chardonnay

Villagio Grando 2008  (Brasil) – Villagio Grando

Branco Sauvignon Blanc

Yealands Estate 2008 (Nova Zelândia)– Yealands State, sem importador

Branco Outras Castas

Mesh Riesling (Austrália) – Mesh, importado pela KMM

Rosé

Château de Pourcieux 2009 (França) – Château de Pourcieux, importado pela Cantu

Tinto Nacional

Sesmarias 2008 (Brasil)  – Miolo

Tinto Novo Mundo

Morandé Grand Reserva Syrah 2005 (Chile) – Morandé, importado pela Morandé

Tinto Velho Mundo

Herdade do Esporão Touriga Nacional 2007 (Portugal) – Herdade do Esporão, importado pela Qualimpor

Fortificado/Doces

Madeira Justino’s Colheita 1995 (Portugal) – Justino Henriques, importado pela Casa Flora

VICES E OUTROS LUGARES

Para quem não se contenta só com os primeiros lugares, a organização do evento divulgou outras classificações, em algumas categorias.

Espumante Nacional

1º Grand Legado Brut – Wine Park

2º Aurora Chardonnay Brut – Cooperativa Aurora

3º Miolo Millesime Brut – Miolo

4º Pedrucci Brut – Pedrucci

Branco Chardonnay

1º Villagio Grando 2008  (Brasil)– Villagio Grando

2º Cordilheira de Sant’Ana Reserva Especial 2008 (Brasil) – Cordilheira de Sant’Ana

Tinto Nacional

1º Sesmarias 2008 – Miolo

2º Dom Cândido Cabernet Sauvignon Reserva 2009 – Dom Cândido

3º Salton 100 anos – Salton

4º Storia 2006 – Casa Valduga

Tinto Novo Mundo

1º Morandé Grand Reserva Syrah 2005 – Morandé, importado pela Morandé

2º Tomero Gran Reserva Malbec – Tomero, importado pela Domno Brasil

3º Cristobal 1492 Malbec 2008 – Don Cristobal, importado pela Divina Botella

Tinto Velho Mundo

1º Herdade do Esporão Touriga Nacional 2007 (Portugal) – Herdade do Esporão, importado pela Qualimpor

2º Arzuaga Reserva  Especial 2004 (Espanha) – Bodegas Arzuaga Navarro, importado pela Decanter

3º Avan Terruño de Valdehernando 2007 (Espanha) – Juan Manuel Burgos, importado pela Del Maipo

Avaliação crítica, mas também pessoal

Em algumas categorias houve maior coincidência nas escolhas dos 12 degustadores. O fabuloso espumante italiano Ferrari, o enebriante Madeira Justino’s Colheita 1995 foram quase uma barbada. Já os 30 tintos do velho mundo, os 19 do novo mundo e os 30 tintos nacionais geraram maior multiplicidade de escolhas. Alguns produtores mais espertos já perceberam algumas preferências destes jurados que com uma alteração ou outra se mantêm há alguns anos cuspindo os melhores vinhos da feira. Nos brancos outras castas, um bom riesling sempre acaba levando, o touriga nacional é um tinto de degustação por excelência. O truque, porém, nem sempre funciona. O melhor tinto novo mundo, quem levou foi um syrah do Chile, da Morandé. No momento mais emocionante da apresentação dos rótulos, na noite de terça-feira, o próprio Pablo Morandé, enólogo e produtor chileno, o homem que “descobriu” o potencial da região de Casablanca, veio explicar pessoalmente seu vinho. A maior surpresa, talvez, foi a premiação de um espumante pouco conhecido: Grand Legado Brut, que trabalha com vinhas antigamente utilizadas pela Forestier.

Como é o Top Ten

Os vinhos que concorrem na degustação do Top Ten da ExpoVinis são aqueles enviados pelos expositores. Concorre quem quer. Eles são divididos em uma dezena de categorias: espumante nacional, espumante importado, sauvignon blanc, chardonnay, outras uvas brancas, rosados, tintos nacionais, tintos novo mundo, tintos velho mundo, fortificados e doces. As garrafas são ensacadas, numeradas e avaliadas. As notas de cada jurado são somadas e os melhores em cada categoria levam a medalha no peito e saem anunciando por aí. Justo ou não, trata-se de um julgamento coletivo, que é mais preciso que a nota de um só critico. Os jurados só conhecem os rótulos provados no momento da divulgação do resultado, que foi anunciado às 14h30 do primeiro dia da feira (27/04).

OS 12 JURADOS

  • Daniel Pinto (Sbav – SP)
  • Jorge Carrara (Folha de São Paulo e Prazeres da Mesa),
  • José Maria Santana (Revista Gosto),
  • Marcelo Copello (Mar de Vinhos),
  • Manuel Beato (Sommelier do Fasano, Guia de Vinhos Larousse)
  • Celito Guerra (Enólogo e Degustador da EMBRAPA),
  • Gustavo Andrade de Paulo (ABS – SP, Wine Style),
  • Ricardo Farias (ABS – RJ, Vinotícias),
  • Gerson Lopes (ABS – MG, Estado de Minas),
  • Marcio Oliveira (SBAV – MG),
  • José Luiz Pagliari (SBAV – SP) e
  • Beto Gerosa (Blog do Vinho, iG).
Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 19 de abril de 2010 Degustação | 10:01

Aberta a temporada de feiras de vinho em São Paulo

Compartilhe: Twitter

Se você adora vinho, não perde uma oportunidade de provar novidades e quer checar safras recentes, guarde um espaço em sua agenda para visitar as feiras de vinho que invadem a cidade de São Paulo em abril. A primeira, da importadora World Wine, começa já na segunda-feira, dia 19 de abril. A maior, a ExpoVinis Brasil, a 14º edição da megafeira anual de vinhos, acontece nos dias 27, 28 e 29.

Espécie de parque de diversões de enófilos e consumidores de vinho, as feiras também são um espaço para fazer negócios. Por esta razão, são reservados dias e horários exclusivos aos sommeliers, donos de restaurantes, profissionais da área e imprensa especializada para conversar com os produtores e avaliar os rótulos que desejam comercializar, colocar em suas cartas ou apenas conhecer. Este povo vai, afinal, escolher o que você vai beber nos próximos anos.

Nos dias e horários abertos aos consumidores, a disputa por um determinado rótulo é um tanto mais complicada. Exige do visitante o braço constantemente esticado com a taça em punho e uma certa dose de paciência. Mas vale a pena. O raciocínio é simples. Funciona como um rodízio de vinho. Por um preço único é possível conhecer e provar inúmeros rótulos, conversar pessoalmente com produtores e enólogos e ainda levar para casa algumas garrafas com algum desconto. Prepare o fígado. E vá de táxi!

World Wine Experience

O que é: feira da importadora World Wine, o braço mais refinado do grupo La Pastina. São 150 rótulos de 20 produtores do Novo Mundo, com garrafas do Chile, Argentina, Estados Unidos, Austrália e África do Sul. Site

Indicado para quem… quer provar uma variedade de tintos e brancos do Novo Mundo, com destaque para rótulos argentinos e chilenos, muitos deles novidades da importadora.

Onde: Meliá Jardim Europa, Rua João Cachoeira, 107, Itaim Bibi, São Paulo, SP.

Quando: 19/4, das 15h às 20h (para profissionais do setor) e 20/4, das 16h às 21h (público em geral)

Preço: R$ 100,00.

Informações: (11) 3383-7477

Expovinhoff 2010

O que é: acontece um dia antes do salão internacional da ExpoVinis, e se propõe ser a primeira feira de vinhos fora do circuito no Brasil. São 17 expositores entre produtores nacionais e importadoras com o diferencial de serviço adequado dos vinhos,  armazenados em adegas climatizadas (muitas vezes bebe-se vinho quente no calor destes eventos). Site

Indicada para quem… quiser participar de uma feira em um ambiente mais descontraído e aconchegante, e ter acesso mais fácil a produtores e enólogos.

Onde: Restaurante Pandoro. Avenida Cidade Jardim, 60, São Paulo, SP.

Quando: 26/4, das 11h/21h.

Preço: R$ 20,00

Degustações especiais:

12h- Domaine de L´Oustal Blanc – Languedoc
12h30 – Lídio Carraro – Brasil
13h- Vinhos La Fortuna – Chile – Maria Inês Beltrão – Importadora MIB
14h- Viña Sucre – Chilean Premium Wine s- Wine Company
14h50- Gloria Reynolds – Alentejo – Casa do Porto
15h20- Vinhos da Corsega Alain Mazoyer – Empório Sori
15h50 – Vinhos de Tomelloso, A origem de Grandes Vinhos desde 1986
16h20 – Douro Family State
16h50 – Coloman, Os Vinhos da Terra de Don Quixote de La Mancha, o Maior Vinhedo do Mundo
17h20 – Domaine Louise Brizon- Cave Jado
18h30 – Horacio Fuentes- Enólogo Ventisquero- Cantu
19h- Gianmarco Ghisolfi- Barolo Bricco Visete – Tre Bicchieri Gambero Rosso
19h30- José Correa – Enólogo Cia. Das Quintas – Interfood
20h10 – Arthur Azevedo- O novo Mundo X O Velho Mundo – Max Brands

Degustações gratuitas para quem se inscrever no e-mail degustação@propop.com.br


ExpoVinis Brasil 2010

O que é: 14º edição do maior evento do setor da América Latina. São mais de 250 expositores de todo o mundo; destaque para as mais de 40 vinícolas nacionais reunidas no espaço do Ibravin – Instituto Brasileiro do Vinho –, além da presença das maiores importadoras em atuação no país. Site

Indicado para quem… quer ter um panorama dos vinhos de todo o mundo, desde países pouco conhecidos como Bolívia e Sérvia, até grandes produtores como  Argentina, Portugal, França, Itália e um amplo painel do vinho nacional. A feira é enorme, melhor se programar com o mapa, distribuído na entrada, e definir prioridades.

Onde: Expo Center Norte – Pavilhão Vermelho,Vila Guilherme,  São Paulo, SP

Quando: 27/4, das 14h às 22h (para profissionais do setor) e 28 e 29/4, das 14h  às 22h (19h/22h para público em geral)

Preço: R$ 40,00 (com taça para degustação), R$ 30,00 (sem taça).

Degustações especiais:

A ExpoVinis tem uma série de degustações promovidas por importadoras, associações, como a Vini Portugal, Ibravin, etc. As provas promovidas pela organização da feira são as seguintes:

27 – terça-feira – Degustação Top Ten ExpoVinis 2010 (concurso que elege os dez melhores vinhos da feira, avaliados em prova às cegas por jornalistas especializados, sommeliers e representantes de associações. Este colunista é um dos jurados e vai contar depois como foi a degustação)

28 – quarta-feira – Joan Pujol, da espanhola Miguel Torres, conduz a ‘Vertical do Mas La Plana’, o rótulo mais refinado da Bodega Torres, do Chile.

28 – quarta-feira – O enólogo franco-chileno Patrick Valette comandará os painel: ‘Melhores tintos do Velho e Novo Mundo no ExpoVinis Brasil’ .

29 – quinta-feira – Lorenzo Zonin, especialista em conversão biodinâmica, e Davide Rosso, produtor de Barolo, Piemonte (Itália), dirigem a prova ‘Futuro do vinho: biodinâmicos’.

Informações e reservas para as degustações pelo e-mail degustacoes@exponor.com.br ou pelo telefone (11) 3141-9444.

Leia também: Vale a pena ir às feiras de vinho?

Autor: Tags: , ,