Publicidade

Posts com a Tag branco

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 Brancos, Hoje eu bebi um..., Novo Mundo | 17:12

Hoje eu bebi um… TH Chardonnay 2011

Compartilhe: Twitter

Uma nova seção

Nós, os homens que cospem vinho, também bebemos o dito cujo. Somos curiosos. São várias ocasiões: almoços, degustações de importadoras e produtoras, feiras, confrarias e ou em casa mesmo. Por isso a “litragem” é alta. Mas bebemos com responsabilidade e prazer. Ninguém que eu conheça entorna uma garrafa de vinho para esquecer os problemas da vida. Ao contrário, bebe-se para brindar a vida. Os homens que cospem vinho bebem com um pouco mais de atenção, apenas isso. E eventualmente tomamos nota, ouvimos boas histórias do vinho e classificamos a garrafa de acordo com nosso gosto e também com algum método.

Dito isso, este post inaugura uma série que pretende ter uma atualização mais constante, onde pretendo repartir com o respeitável público um vinho em destaque entre tantos que passam pelas minhas papilas. A ideia é ter a informação num formato mais visual, enxuto e prazeroso. Afinal, os aromas são voláteis, e o tempo também é.

O título Hoje eu bebi… , para estabelecer um compromisso com a verdade, não reflete necessariamente um período de tempo, apenas é um jeito simpático de dar sequência a uma série, e dar inveja a todo mundo que pensa que eu bebo vinhos maravilhosos diariamente. Espero que aproveitem e utilizem o campo de comentários com suas próprias observações e sugestões.

Voltando ao tema:

Hoje eu bebi um… TH Chardonnay 2011

TH Chardonnay 2011

TH Chardonnay 2011

Ficha

Tipo: branco

Produtor: Undurraga

País: Chile

Região: Limarí/Quebrada Seca

Uva: chardonnay (100%)

Preço: R$ 97,00

Importador: Inovini

 

Em poucas palavras: um chardonnay potente mas refinado, levemente cremoso e gastronômico.

A voz do vinho: o projeto TH (sigla para Terroir Hunter, caçadores de terroir, que medo…) da Viña Undurraga tem como princípio buscar os vinhedos mais apropriados do Chile para determinadas uvas e estilos de vinho. De orientação orgânica, o objetivo é preservar na bebida o lugar de origem. São treze variedades. No Brasil chegam seis (sauvignon blanc, chardonnay, pinot noir, carmenenère e cabernet sauvignon. Também me agradou muito o carmenère da região de Peumo). O enólogo Rafael Urrejola explica o que busca em cada terreno: + frescor, – álcool, + genuinidade, – intervenção. Este é o caso deste chardonnay de Limarí, mais especificamente de Quebrada Seca, um paraíso para esta uva branca.

Por que beber: é sempre bom encontrar um chardonnay chileno que se apoia na elegância e tem bastante sabor. O uso da barrica engradece o vinho dando uma cremosidade envolvente, mas mantendo boa acidez e frescor. Na entrada aparece uma fruta fresca, em seguida um mel adoça esta percepção e a madeira envolve a boca.

Nariz&boca: você talvez perceba aromas e sabores de:

Pera

Pera

 

Péssego

Péssego

 

Mel

Mel

Madeira

Madeira

Quando beber: no verão é melhor, ou quando o momento exige frescor e intensidade e a comida pedir um branco untuoso com personalidade. Um peixe mais gordo. E um leitãozinho, por exemplo. Deve evoluir mais na garrafa mas é um prazer imediato se desarrolhando já.

Em vídeo:

 

 

Leia Também: Chile e Argentina dominam o mercado de importação no Brasil

Leia também: Vinhateiros independentes do Chile: pequenas vínicolas, grandes vinhos

 

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 27 de março de 2013 Harmonização | 09:10

Bacalhau e vinho: tinto ou branco?

Compartilhe: Twitter


“Vocês querem bacalhau?”
Bordão do apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha

Provavelmente você vai encarar um bacalhau nesta sexta-feira santa. E o vinho? Já escolheu? Está em dúvida entre um branco e um tinto?

Saiba que você não está sozinho. Muito gente fica em dúvida sobre qual o vinho que combina com este peixe, que nem parece peixe, pois é um pescado com estrutura mais firme e sabor persistente.

Nem todo bacalhau é igual também. Eles variam de tipo e nível de qualidade: do Cod Gadus Morhua, o mais nobre, ao Gadus macrocephalus, o tipo mais simples. Saiba mais na reportagem “Quinze respostas sobre o bacalhau”

E assim como nunca se vê cabeça de bacalhau, também nunca se chegou a um consenso sobre a combinação ideal entre o pescado e o fruto da videira fermentado.

O escritor português Eça de Queiroz (1845-1900), que entendia da alma lusitana e também se interessava por sua culinária, não tinha dúvidas. “Em Portugal é tradicional acompanhar os pratos de bacalhau com vinho tinto. Este ‘casamento’ feliz explica-se pela ação do tipo de sabores frutados presentes nos vinhos tintos que, dando-nos uma sensação gustativa indireta da doçura, amenizam o gosto ‘oposto’ salgado do bacalhau”, escreve.

De fato, em Portugal é a harmonização mais comum. Os introdutores da bacalhoada na colônia apostam nos tintos com boa estrutura, que dá robustez ao caldo, mas de taninos mais leves e boa acidez para cortar a gordura do azeite, sempre presente nas receitas.

Outros (como eu) preferem brancos mais  encorpados, com passagem em barricas de carvalho, mais maduros, com aquela untuosidade que combina bem com o forte sabor do bacalhau: um não passa em cima do outro. O saudoso critico Saul Galvão era assertivo: “Com um boa posta de bacalhau, preparada com simplicidade para ressaltar o seu sabor, não tenho dúvidas de que um branco encorpado é ótima opção.”

Quem está com a razão? Ambos, eu arriscaria.

Aí está, pois, a boa notícia. Há brancos e tintos que escoltam bem as receitas da bacalhoada, um prato que entrou no cardápio do brasileiro: a semana santa é só uma desculpa a mais para saboreá-lo.

Bacalhau ao forno

Bacalhau ao forno: brancos com madeira e tintos equilibrados

As versões mais consumidas são a clássica ao forno (veja receita), com lascas ou postas grelhadas enriquecidas com tomates, batatas, pimentão, azeitonas, ovos e regado no azeite – aqui não tem erro as escolhas de  brancos encorpados, com estágio em madeira ou tintos de boa fruta e estrutura.

Bacalhau a Bráz

Bacalhau a Bráz, vinhos brancos verdes com madeira

As receitas com consistência mais cremosa, como o bacalhau com natas, bacalhau a Bráz (veja receita), ou brandade de bacalhau pedem um branco mais fresco, como os vinhos verdes da uva alvarinho, de preferência aqueles com passagem em madeira.

Bolinho de bacalhau

Bolinho de bacalhau: para a entrada um espumante vai bem

A versão do bacalhau com broa tostada e uma entrada de bolinho de bacalhau (veja receita) permite uma inovada com espumantes portugueses e espanhois.

Eu costumo iniciar os trabalhos com um belo branco lusitano, das castas arinto e antão vaz, ou ainda com toques de chardonnay –  os brancos amadeirados chilenos, argentinos e nacionais também seguram a onda. Em seguida, desarrolho um tinto também português, agora sem madeira excessiva, mas com muita fruta, equilíbrio e acidez. Evite os tintos muito fortes, que podem passar por cima do prato.

Abaixo, algumas possibilidades  portuguesas e nacionais

Espumantes

Espumante Filipa Pato Bical Arinto 3B 

Espumante Caves São João Bruto

Espumante Vertice

Freixenet Reserva Real

Murganheira Reserva Bruto Branco 1995

 

Brancos (vinhos verdes)

Quinta dos Loridos Alvarinho 2008 

Alvarinho Deu La Deu 2012 

Paço de Teixeiró 2010

Muros de Melgaço 2008  


Brancos

Paulo Laureano Premium Branco 2011

Filipa Pato FP Branco 2009 

Dourum Colheita 

Esporão Reserva Branco 2011

Luis Pato vinhas velhas 2009

Pêra Manca Branco 2010

 

Tintos

Paulo Laureano Clássico Tinto

Marquês de Borba Tinto

Saes tinto 2010 (Quinta da Pellada)

Cabriz Reserva, Dão, 2008 

Quinta do Vallado

Vertente Tinto Niepoort 2009

Quinta dos Murças Reserva 2008

Quinta do Crasto Vinhas Velhas 2011

 

BRASIL

Brancos

Aurora Pinto Bandeira Chardonnay 2011 – Aurora

Salton Virtude Chardonnay 2011 Salton

Chardonnay Gran Reserva 2011 – Casa Valduga

Villa Francioni Chardonnay – Lote II – Villa Francioni

Da’divas Chardonnay 2012 – Lídio Carraro

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 15 de março de 2010 Teste | 19:18

Você entende de vinho ou só faz pose? (parte 2)

Compartilhe: Twitter

O bebedor de vinho, na sua maioria, está dividido em duas categorias: aqueles que não conhecem nada de vinho e aqueles que acham que conhecem. Você entende de vinho ou só faz pose? Responda as quinze perguntas do teste abaixo e descubra.

O Blog do Vinho tem uma série de testes para você checar, de forma divertida e despretensiosa, os seus conhecimentos. Eles estão listados no final deste quiz

[QUIZZIN 7]

Faça os outros testes

Autor: Tags: , , ,